Quem sou eu

Minha foto
Rio de Janeiro, RJ, Brazil
positivosim@gmail.com Sou um cara normal, que contraiu o HIV em uma relação homossexual monogâmica (ao menos da minha parte). O resto vai ser postado aqui nesse blog...
Google
 

terça-feira, 18 de junho de 2013

Amadurecendo

Muitas coisas ocorreram desde meu último post.
Tive problemas de saúde, mas não acredito que estejam associados ao HIV, porém ao estresse do meu trabalho e insatisfação no que faço. Minha pressão andou bem alta, mas um dia distante do meu trabalho já foi o suficiente para que ela normalizasse.
HORA DE PROCURAR UM PROPÓSITO, UM TRABALHO QUE FAÇA SENTIDO PARA MIM.
Definitivamente sou apaixonado pela vida. Talvez por isso minha segunda graduação tenha sido no estudo dela, a fantástica Biologia.
Ainda que em alguns momentos me deixe abater pelos problemas pessoais e familiares, a vida é simplesmente fantástica!
Ter o privilégio de observar a natureza em seus diferentes aspectos é algo simplesmente sublime. Como é possível não amar a vida?
Posso estar aborrecido, não vendo uma perspectiva imediata em minha vida profissional, porém o simples desabrochar de uma flor, ou observar um pássaro visitando o meu jardim faz com que tudo valha a pena.
Conversar com uma amiga querida ao telefone, com aquele tom delicioso de quem está sorrindo ao falar, pelo simples fato de estar falando com o amigo que tanto gosta é algo que recarrega qualquer bateria arriada.
Sei que estou sumido dos meus amigos amados, mas sei que não é por esse motivo que deixariam de me amar.
Preciso recobrar a felicidade de viver momentos felizes com pessoas queridas, e assim farei.
Nesses dias vi um filme fantástico que gostaria de deixar como sugestão àqueles que se interessarem.
Segue o trailer:

E Se Vivêssemos Todos Juntos?

Et Si On Vivait Tous Ensemble? * *
(2011) 96 min (14 anos - cenas de nudez, insinuação de relação sexual e diálogos sobre sexualidade)

França - Amigos há mais de 40 anos, Annie, Jean, Claude, Albert e Jeanne começam a sentir o peso da idade. O filho do fotógrafo mulherengo Claude quer colocá-lo numa casa de repouso, desde que os médicos descobriram problemas em seu coração. Jean sempre foi um ativista político e agora sente-se ainda mais revoltado pois a polícia não parece levá-lo a sério. Albert  cola os rótulos dos vinhos que bebe e registra os acontecimentos importantes num caderno, temendo esquecê-los no momento seguinte. Sua memória recente está bastante prejudicada. 

As duas mulheres parecem em melhor forma, mas também têm seus problemas. A americana Jeanne está com câncer e a psicóloga Annie sente muito a falta dos netos. Contudo, quando estão juntos, os cinco esquecem as tristezas e passam momentos alegres. Por que não prolongar essa felicidade?

Os problemas do grupo de amigos são por demais familiares a todos os que envelhecemos e vemos envelhecer nossos pais. Os esquecimentos de Albert representam o grande temor da geração dos baby boomers (nascidos entre 1946 e 1964). Quem não tem medo da doença descoberta pelo psiquiatra alemão Alois Alzheimer? Albert não gosta de alemães, já que seu pai foi morto pelos nazistas. Pois, no filme "E Se Vivêssemos Todos Juntos?", quem se apresenta para auxiliar os idosos é o alemão Dirk, um estudante de antropologia. O projeto inicial era apenas levar a passear o cachorro de Albert, mas Dirk logo se envolve, ou é envolvido por Jeanne, no dia-a-dia dos cinco amigos. Numa consequência natural, eles viram sua tese de mestrado. Não há nada melhor do que a mistura de gerações e as trocas de experiências que daí decorrem.

quarta-feira, 15 de maio de 2013

U2 - Numb official video (high quality)

Sumi pois estava me sentindo assim:



Com novas resoluções saí do estado dormente e postarei em breve.
:-)